quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Promoção no "Se Junta" finalizada com sucesso!

Queremos agradecer, ainda que com um pouco de atraso, a todas as pessoas que confiaram em nós e compraram no site abaixo:

http://www.sejunta.com.br/2011/produto/visualizar/114

a promoção:

50% de Desconto no Campeões Kart Indoor - Bateria de 20 minutos, De R$ 40,00 por R$ 20,00 - IMPERDÍVEL!

sábado, 24 de setembro de 2011

Desafio das Estrelas - 2006


Todo final de ano é realizada uma corrida entre pilotos de diversas categorias do automobilismo, inclusive da F1. Esta foi a edição de 2006. Ah, sim, a narração é de Milton Leite.

domingo, 11 de setembro de 2011

Como fazer drift com o kart

O drift é uma manobra muito usada no kart e além de divertida, faz com que o piloto ganhe segundos preciosos em uma corrida.

Para quem não sabe, drift é uma técnica de direção de carros ou motos que consiste em deslizar nas curvas escapando de traseira, girar o volante para que as rodas dianteiras estejam sempre em uma direção oposta a curva controlando o nível de derrapagem, fazendo o carro literalmente andar de lado.

No kart, isso é possível pois o carrinho é MR, ou seja, possui motor central e tração traseira.

A primeira dica fica por conta da trajetória. O piloto deve buscar a tangência da curva, entrando pela parte de fora, ficando o mais dentro possível no meio dela e saindo pela parte de fora. Abaixo, estão duas linhas que facilitam a visão e a interpretação:


Após o básico sobre drift, aqui estão alguns tipos e as instruções para praticá-los:

Braking Drift: Consiste em frear na entrada da curva, transferindo o peso para a dianteira fazendo a traseira perder a tração. Após obter o oversteering, contra-esterça a direção para direcionar o movimento do carro, com o acelerador mantém-se o drift.

Faint Drift: O piloto conduz o carro para o lado de fora na entrada da curva, o peso do carro é transferido para as rodas externas, então rapidamente vira o carro para dentro da curva. Quando a suspensão do carro dá batente, o peso muda tão rapidamente que a traseira sai e a derrapagem se inicia.

Kansei Drift: Essa técnica é utilizada em curvas de alta-velocidade, se executada perfeitamente não é utilizado o freio. Na entrada da curva retira-se o pé do acelerador, transferindo o peso para frente e provocando a perda de tração nas rodas de trás.

Punta-taco (válido somente para karts com marchas): Consiste em reduzir a marcha rapidamente sem sicronizar a rotação do motor e das rodas, a diferença faz com que as rodas travem e percam a tração. Mantendo a ponta do pé no freio, dá-se um toque no freio e no acelerador suficiente para igualar rotação e velocidade do carro na marcha a ser engatada. Assim que a rotação desejada é atingida, desacelere e faça mais uma redução de marcha para assim manter o drift.

Tenha paciência, não vai ser nas primeiras voltas que você irá sair detonando! Prática leva à Perfeição!

sábado, 10 de setembro de 2011

O maior acidente da história do kart

Esse acidente ocorreu em um campeonato disputado em Mônaco. Todos os pilotos saíram ilesos, mas o número de karts envolvidos no "engarrafamento" foi impressionante. Confira!

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Grande promoção de setembro!

Venha sentir a emoção de pilotar um kart,

Grande promoção do mês: traga um amigo...

...e ganhe um desconto especial!
 10 minutos DE R$25,OO REAIS;
POR APENAS  R$15,00 Reais!!!

Essa promoção só é válida para esse  e-mail cadastrado em nossa empresa.
APROVEITE! 

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

A história do kart

Os karts foram originalmente criados nos Estados Unidos da América nos anos 50 após a Segunda Guerra Mundial por pilotos de aviões interessados em inventar um desporto para os tempos de folga. O norte-americano Art Ingels é internacionalmente conhecido como o pai do kart. Ele construiu o primeiro kartódromo no sul da Califórnia em 1956. O desporto rapidamente se espalhou para outros países .

Entusiasmado com as corridas que assistiu, com pequenos carrinhos de motores dois tempos, o comerciante de automóveis Cláudio Daniel Rodrigues resolveu importar a idéia, fabricando os primeiros chassis de kart do Brasil. Em uma época onde o improviso falava mais alto que a tecnologia, o protótipo do kart nacional tinha pneus de carrinhos de mão e motor d’água. O idealismo que marcou os primeiros anos do novo esporte era movido principalmente pelo prazer das disputas em pistas de rua.

Os primeiros modelos eram muito diferentes dos atuais, os pilotos dirigiam quase deitados. Os chassis construídos na época eram inspirados nos modelos americanos, mais apropriados para provas de longa duração. Só após a inauguração do Kartódromo de Interlagos, em São Paulo, os chassis passaram a seguir o padrão europeu, com uma menor distância entre-eixos, o que fazia com que os pilotos não ficassem mais tão deitados. Na época, o então jovem Emerson Fittipaldi dividia com outros pilotos a tarefa de construir chassis ele foi, aliás, um dos primeiros pilotos a conseguir competir com menos de 18 anos, já que era preciso até carteira de habilitação para correr num simples kart.

Desde o início das provas de kart no Brasil, a competitividade marcou a categoria. Nomes como Wilsinho Fittipaldi, Carol Figueiredo, Maneco Cambacau, Afonso Giaffone, José Carlos Pace, entre outros, se destacavam nas provas de rua. Emerson Fittipaldi também se tornou rapidamente um vencedor no kartismo. Com o final da década de 60, alguns dos principais pioneiros deixaram o kart, a maioria para correr de automóvel no Brasil, e outros, como Emerson Fittipaldi, foram à Inglaterra, iniciar sua carreira na F-Ford. Já nos anos 70 surgiam mais nomes que posteriormente teriam uma carreira de destaque na Europa, como Nelson Piquet, Roberto Pupo Moreno, Chico Serra entre outros.

O kartódromo de Interlagos viu crescer ainda na década de 70, um de seus maiores pilotos em todos os tempos. Ayrton Senna da Silva era então mais um jovem talentoso com uma incurável obsessão por vitórias.

A partir dos anos 70, o kartismo começa a ser levado cada vez mais a sério pelos jovens pilotos, tecnicamente a principal mudança observada nesse período foi a introdução do álcool como combustível, o que permanece até hoje.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

As bandeiras durante uma corrida (regras)

A melhor forma de comunicação entre os pilotos e a direção de prova é pelo uso das bandeiras. Seu uso é fundamental para que todas as regras sejam cumpridas numa prova e para que o piloto possa realizar uma corrida mais tranquila e divertida! Aqui estão as bandeiras mais utilizadas:


- A bandeira amarela significa CUIDADO: perigo na pista. Reduza a velocidade e fique pronto para uma freada a qualquer momento. Qualquer ultrapassagem é proibida. Geralmente é usada quando ocorre um acidente ou quando um kart para em uma posição perigosa.



- A bandeira azul significa aproximação de um piloto mais rápido. Dê passagem imediatamente. Usada quando um piloto (retardatário) está prestes a tomar uma volta de outro kart.


- A bandeira vermelha interrompe imediatamente a corrida. Qualquer ultrapassagem é proibida. Os pilotos deverão se dirigir aos boxes e aguardar nova largada. Muito usada em caso de acidentes graves ou em condições climáticas que impossibilitam a corrida.~



- A bandeira diagonal em preto e branco apresentada junto a um número significa advertência para aquele piloto. Duas advertências geram um Stop & Go. (passagem obrigatória pelos boxes).



- A bandeira preta com um circulo no centro, mostrada junto a um número (o do kart punido) significa STOP & GO, parada obrigatória de 10s nos boxes para o piloto.



- A bandeira preta mostrada junto a um número significa DESCLASSIFICAÇÃO do piloto por causa de conduta anti-desportiva (dar toques nos adversários, bloquear outros pilotos, causar acidentes ou ter mau conduta com os comissários de prova). O piloto está imediatamente fora da corrida e deverá retornar aos boxes.



- A bandeira quadriculada indica o FIM DE PROVA. Assim, os pilotos na mesma volta deverão desacelerar e se dirigir aos boxes.

Mais dicas de pilotagem

Aqui algumas dicas para quem está começando, de como pilotar um kart e tirar o seu melhor desempenho com segurança.


================== TANGÊNCIA ========================

A - Tangente é a menor distância entre dois pontos de uma curva.Sendo assim, no automobilismo é imperativo que esta teoria seja aplicada da melhor maneira possível. No quadro acima, vamos considerar as letras da seguinte forma:

B - É o que se denomina, em inglês, de "Turning Point" ou "Entry Point", na tradução, "Ponto de Entrada" da curva.

- Neste momento, você já deve estar na velocidade ideal para entrar na curva e isto se faz na reta que antecede a mesma ao se aplicar os freios de forma suave e gradativa. Note que ao aplicar os freios, todo o peso do veículo estará sobre as rodas dianteiras, fazendo com que as rodas traseiras percam a aderência ideal. Portanto, evite estancar os freios ou fazê-lo de maneira brusca, caso contrário, fatalmente você perderá a traseira do veículo, causando o que se conhece por derrapagem. No jargão comum costuma-se dizer que o veículo "saiu de bunda".

C - Em inglês, "Apex Point" ou "Ponto de Tangência".

- Sua velocidade em direção ao Ponto de Tangência deve ser constante e a mais rápida possível. Não se preocupe se, no início, você não acertar a velocidade ideal pois a prática vai fazer com que você domine a técnica em pouco tempo.


================ Traçado na pista ======================


- A pilotagem deve ser o mais suave possível, evitando movimentos bruscos.

- Para isso é necessário memorizar bem o circuito.
- Durante as curvas, evite fazer correções na trajetória. Procure andar de forma limpa, uniforme.
- O traçado deve ser o mais "retilíneo" possível, reduzindo ao máximo a força centrípeta (aumento do raio), podendo-se assim aumentar-se à velocidade.
- O ponto de aceleração e de freada depende de cada curva, mas basicamente deve-se frear antes de começar a fazer a curva para evitar que o kart solte. O ponto ideal de aceleração é no centro da curva.


================ Debaixo de Chuva =======================

- O traçado de chuva deve ser exatamente o contrário do normal. A idéia é escapar da trilha de borracha formada na pista. Esta trilha se forma onde é mais comum os karts passarem, ou seja, no traçado normal, e com água, borracha + borracha = 0 de atrito... Então deve-se fazer um traçado no qual se cruza a borracha.


Espero que essas ajudas possam proporcionar uma corrida mais empolgante, segura e divertida!