quinta-feira, 8 de setembro de 2011

A história do kart

Os karts foram originalmente criados nos Estados Unidos da América nos anos 50 após a Segunda Guerra Mundial por pilotos de aviões interessados em inventar um desporto para os tempos de folga. O norte-americano Art Ingels é internacionalmente conhecido como o pai do kart. Ele construiu o primeiro kartódromo no sul da Califórnia em 1956. O desporto rapidamente se espalhou para outros países .

Entusiasmado com as corridas que assistiu, com pequenos carrinhos de motores dois tempos, o comerciante de automóveis Cláudio Daniel Rodrigues resolveu importar a idéia, fabricando os primeiros chassis de kart do Brasil. Em uma época onde o improviso falava mais alto que a tecnologia, o protótipo do kart nacional tinha pneus de carrinhos de mão e motor d’água. O idealismo que marcou os primeiros anos do novo esporte era movido principalmente pelo prazer das disputas em pistas de rua.

Os primeiros modelos eram muito diferentes dos atuais, os pilotos dirigiam quase deitados. Os chassis construídos na época eram inspirados nos modelos americanos, mais apropriados para provas de longa duração. Só após a inauguração do Kartódromo de Interlagos, em São Paulo, os chassis passaram a seguir o padrão europeu, com uma menor distância entre-eixos, o que fazia com que os pilotos não ficassem mais tão deitados. Na época, o então jovem Emerson Fittipaldi dividia com outros pilotos a tarefa de construir chassis ele foi, aliás, um dos primeiros pilotos a conseguir competir com menos de 18 anos, já que era preciso até carteira de habilitação para correr num simples kart.

Desde o início das provas de kart no Brasil, a competitividade marcou a categoria. Nomes como Wilsinho Fittipaldi, Carol Figueiredo, Maneco Cambacau, Afonso Giaffone, José Carlos Pace, entre outros, se destacavam nas provas de rua. Emerson Fittipaldi também se tornou rapidamente um vencedor no kartismo. Com o final da década de 60, alguns dos principais pioneiros deixaram o kart, a maioria para correr de automóvel no Brasil, e outros, como Emerson Fittipaldi, foram à Inglaterra, iniciar sua carreira na F-Ford. Já nos anos 70 surgiam mais nomes que posteriormente teriam uma carreira de destaque na Europa, como Nelson Piquet, Roberto Pupo Moreno, Chico Serra entre outros.

O kartódromo de Interlagos viu crescer ainda na década de 70, um de seus maiores pilotos em todos os tempos. Ayrton Senna da Silva era então mais um jovem talentoso com uma incurável obsessão por vitórias.

A partir dos anos 70, o kartismo começa a ser levado cada vez mais a sério pelos jovens pilotos, tecnicamente a principal mudança observada nesse período foi a introdução do álcool como combustível, o que permanece até hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário